A côr dos minerais

Uncategorized

028________A cor dos minerais:

Porque será que algumas pedras são verdes, outras azuis, outras são avermelhadas ou cor-de-rosa? O que há nelas que faz com que assumam essas características?

Se a sua pedra favorita é azulada, por exemplo, isso deve-se à sua composição atómica específica… é tudo uma questão de química, de física, de níveis de energia e de absorbção de energia. Venha daí e fique a perceber como a sua pedra favorita consegue ser a pedra que é.

A cor de um mineral revela a sua composição química:

028________A cor de um mineral está intimamente ligada à sua composição química. Efectivamente, a cor resulta da interacção da luz com a matéria mas, fundamentalmente, tudo assenta na composição atómica da matéria.

[TESTE DE PERSONALIDADE] : Qual a sua cor preferida? Os pontos fortes e fracos da sua personalidade, agora revelados, mediante a sua cor preferida 🙂

O átomo explicado simplesmente:

Imagine o átomo:

Ele é constituído por um núcleo central, o qual, por sua vez, contém protões e neutrões. À volta desse núcleo, orbitam electrões, em órbitas em forma de pêra, cada vez mais afastadas do núcleo. Se designarmos a órbita mais próxima do núcleo como sendo a órbita número 1, será então mais fácil compreender que é a quarta órbita aquela que é responsável pela cor da matéria e neste caso, pela cor dos minerais.

Se essa quarta órbita do átomo tiver perdido um dos seus electrões, aquele átomo deixa de ser considerado um átomo e passa desde então a ser um ião positivo (um catião) – é um átomo com falta de um electrão.

Se a quarta órbita do átomo tiver ganho um electrão a mais, aquele átomo deixa de ser considerado um átomo e passa desde então a ser um ião negativo (um anião) – é um átomo com um electrão a mais.

Os catiões e a energia luminosa:

A principal causa de coloração de um mineral reside na presença de iões positivos (os catiões) na estrutura desse mesmo mineral, ou seja, trata-se de um ambiente em que  havia falta de um electrão. Quando um feixe de luz branca (luz do sol) embate no mineral, o que acontece na realidade é um embate de energia proveniente do fotão (luz) no mineral. Parte dessa energia proveniente da luz é então absorvida pela pedra e assimilada na quarta camada (a camada que estava com falta de um electrão –> restabelece-se o equilíbrio).

Um dos electrões da quarta camada encarregou-se de absorver uma parte da energia (um feixe de onda electromagnética) que tinha captado da luz branca do sol.

Dado que essa energia (luz), depois de absorvida, vai ser assimilada na quarta camada, vai então ficar aí retida e já não vai ser reflectida para fora do mineral. Então, como uma parte de energia vai ficar retida dentro da pedra, compreende-se que a luz tenha entrado branca (feixe de luz/ fotão), mas já não saia branca (mas sim azul ou verde ou amarela, etc.).

–> isto é: a cor da nossa pedra ou mineral (a cor que nós vemos) são na realidade os feixes de energia que a pedra rejeitou (não assimilou).

A cor: absorbção de comprimentos de onda energéticos diferentes

Em suma, há que recordar que um catião tem o poder de absorver energia luminosa (fotão). As pedras têm cores diferentes porque absorvem comprimentos de onda diferentes.

A quantidade de energia que um catião absorve varia em função de diversos factores do domínio da Física, mas esses factores acabam por ser os responsáveis pelas variações na cor característica a cada mineral. Por isto, deve ter-se em mente que:

  • um mesmo tipo de mineral pode apresentar variações de cor;
  • variações de cores dentro de um mesmo tipo de mineral nem sempre indicam uma eventual presença de impurezas.

N.B. A luz branca do sol é uma sobreposição de feixes de ondas electromagnéticas com comprimentos de ondas diferentes. Cada comprimento de onda corresponde a uma cor.

“Os electrões normalmente no nível de energia dito fundamental podem absorver energia sob a forma de luz, para passar a um nível de energia superior dito excitado. Há então eliminação da luz correspondente ao comprimento de onda de energia necessário e coloração.” [Nossa tradução] (Abreal, 2002, p. 23).

Tabela resumida de Cores dos Minerais:

Preview_Cores dos MineraisPode descarregar a tabela resumida de cores dos minerais em formato pdf, clicando no ícone da tabela aqui ao lado.

Referência:

Abreal, Alain. Les Couleurs dans les Minéraux. Julho 2002. (Documento acedido pela última vez a 10 de Agosto 2013).

Deseja ser informado das próximas actualizações Ethnica?

Basta clicar em “Seguir este Blog”, na coluna à sua direita.

Até já!

ETHNICA HEADER WIX_MINI

Outros links com interesse:

ethnica ligue onde quiser

Anúncios

Os seus comentários são bem-vindos. Por favor submeta-os neste espaço.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s